Saudações!

Em nossa primeira publicação gostaríamos de dar as boas vindas a vocês, nobres escaladores! Em nossas matérias procuraremos nos aprofundar um pouco mais no universo da escalada, contribuindo com um conteúdo sem frescuras e sempre embasado por evidências científicas.

Bom, vamos ao que interessa…untitled-2

Esportes de escalada tem se tornado muito popular, e apresentam diferentes objetivos:

  • Escalada recreacional;
  • Escalada competitiva;
  • Indoor ou na rocha.

Esse interessante crescimento necessita da implementação de um método de treinamento que prepare o atleta (amador ou profissional) para melhorar seu desempenho e diminuir o risco de lesões.

Para melhorarmos nosso nível, algumas variáveis como: força resistência e flexibilidade são muito importantes. Porém, se seu peso não for adequado, as coisas ficarão mais difíceis. Veja bem, não queremos falar de peso ideal, nem mesmo bancar o politicamente correto postando tabelas e gráficos de quanto você deveria pesar. O ponto é, nós intrinsecamente (bem lá no fundo rs…) sabemos quando estamos com uns “quilos a mais”, e se você tem essa percepção e quer escalar melhor, reduzir a ingestão e procurar um nutricionista é muito importante.

De acordo com Quaine and Vigouroux, (2004), a principal força de resistência que um escalador deve lidar enquanto escala vem do seu próprio peso. Então nós te perguntamos: Não seria melhor treinar um pouco mais leve e reduzir a massa corporal ao invés de intensificar os treinos e não mudar a dieta? Muitas vezes (e nós nos incluímos nisso) ficamos obcecados por resultados rápidos e optamos por forçar demais achando que esse é o único caminho, mas essa estratégia pode trazer algumas consequências caso seu peso não seja adequado. Isso acontece porque a força e resistência que você terá de adquirir para sustentar seu corpo será tão grande que, provavelmente algumas lesões começarão a aparecer.

untitled-1Por fim, se pensarmos que as principais marcas de equipamentos de escalada desenvolvem produtos cada vez mais LEVES e resistentes, por que não fazer o mesmo com nossos corpos?

Grande Abraço!

Equipe True Climbing

Referências

Quaine F, Vigouroux L. Maximal resultant four fingertip force and fatigue of the extrinsic muscles of the hand in different sport climbing finger grips. Int J Sports Med, 2004

Gostou da nossa publicação? Tem alguma crítica ou sugestão para melhorarmos? Sinta-se livre para comentar!
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s